sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Iniciação ao Tiro





Este artigo pretende servir de base teórica para que atiradores experientes  iniciem pessoas inexperientes no tiro. Deve ser lido pelos atiradores inexperientes antes da primeira sessão prática na carreira ou campo de tiro. Deve também servir como base ao atirador que está a desempenhar o papel de formador ao longo da sessão prática de tiro.

Quando me refiro à iniciação de atiradores inexperientes, estou a falar de pessoas que não possuem armas e nunca dispararam ou não o fazem com regularidade.



Sumário:
1- Considerações iniciais
2- Segurança
3- Concentração / Mentalização
4- Postura corporal
5- Empunhadura
6- Alinhamento das miras
7- Imagem de miras
8- Pressão e retenção do gatilho
9- Rearmar o gatilho
10- Respiração
11- Manuseamento das armas






  1. Considerações iniciais
  • As armas não são brinquedos. Mesmo a mais fraca das armas de ar comprimido pode provocar ferimentos graves e irreversíveis.

  • É importantíssimo ter sempre presente que as armas são instrumentos perigosos e devem ser manuseadas com extremo cuidado e atenção.

  • Desde que as regras básicas de segurança sejam conhecidas e cumpridas, o tiro é um desporto tão seguro e inofensivo como qualquer outro.



  1. Segurança
  • Trata todas as armas como se estivessem carregadas. Nunca faças nada com uma arma descarregada que não fizesses com uma arma carregada.

  • Nunca apontes uma arma a algo que não estejas disposto a destruir. O cano da arma deve apontar sempre para um local seguro para que, em caso de disparo acidental não se provoquem danos a pessoas, animais ou bens materiais.

  • Mantém o dedo afastado do gatilho até estares pronto para disparar. Só depois da arma estar apontada ao alvo e com a imagem de miras desejada é que se deve colocar o dedo no gatilho. Em todas as outras situações, o dedo indicador deve estar esticado, ao longo da arma.

  • Conhece o teu alvo e o que se encontra atrás dele. É fundamental garantir que atrás do alvo ou na sua proximidade, não se encontram pessoas, animais ou objetos que não se pretendam destruir. É também fundamental perceber se o alvo irá fazer parar o projétil ou se este irá continuar a sua trajetória após embater no alvo.






  1. Concentração / Mentalização
  • Concentração nos princípios básicos do tiro e nas regras de segurança. O atirador tem que se conseguir abstrair de todas as distrações que o rodeiam.

  • O atirador tem que concentrar e focar a mente no que está a tentar conseguir e acreditar que vai conseguir efetuar um tiro certeiro. Nem vale a pena tentar um disparo se acha que não vai conseguir acertar no alvo.

  • Apesar de poder parecer supérfluo este é o mais importante dos princípios básicos do tiro.



  1. Postura corporal
  • O atirador deve assumir uma postura agressiva, em direção ao alvo, de frente para este com os joelhos fletidos e o tronco inclinado para a frente, para melhor controlar o recuo.







  • Ao usar uma carabina, os cotovelos deverão apontar para baixo e não para fora. O peso do corpo deve incidir mais sobre a parte da frente do pé e menos sobre o calcanhar.

  • Para se conseguir perceber bem qual o grau de inclinação do corpo para a frente, pode-se pedir a outra pessoa que  empurre as ligeiramente as palmas das mãos do atirador. Deve-se aumentar o ângulo de inclinação do corpo até se consiga compensar a força da outra pessoa sem perder o equilíbrio.

  • No caso do tiro olímpico, estático,  de precisão, deve-se adotar uma postura lateral, mais fechada e rígida, para melhor estabilizar a arma.




  1. Empunhadura
  • Um fuzil ou carabina, deve ser empunhada de forma segura, com, pelo menos 4 pontos de contacto: a mão esquerda, a mão direita, o ombro e a bochecha. Os braços devem ficar o mais junto ao tronco possível, com os cotovelos a apontar para baixo.

  • No caso das pistolas, apenas existem 2 pontos de contacto (as mãos). A mão dominante deve ser colocada o mais acima possível, enquanto que a mão de suporte deverá agarrar a arma ligeiramente inclinada para a frente, de forma a “trancar” o pulso, ficando com o indicador por baixo do guarda-mato e com o polegar inclinado para a frente. As mãos devem comprimir a arma como se esta estivesse segura num torno.




  1. Alinhamento das miras
  • Alinhamento da mira da frente com a traseira. No caso das tradicionais alças de mira em formato de U, deve-se alinhar o topo da mira da frente com o topo da mira traseira e a massa de mira  deve ficar centrada na lateral.

  • Deve-se focar a mira da frente, nunca a mira traseira ou o alvo.







  • No caso das miras dióptricas, a mira da frente deve estar focada e ao centro do anel traseiro.




  1. Imagem de miras
  • As miras podem ser afinadas para o centro do alvo que se pretende atingir ou para a base do mesmo (posição das 6 horas), dependendo da preferência do utilizador.








  1. Pressão e retenção do gatilho
  • O gatilho deve ser premido na pausa respiratória, ou seja, com os pulmões sem ar. O gatilho deve-se puxar, com a parte almofadada da primeira falange do dedo indicador, de forma suave e constante à retaguarda até que o disparo seja efetuado. O gatilho deve ser puxado para trás em linha reta. Qualquer movimento lateral do gatilho irá ter consequências negativas no tiro.

  • O gatilho deverá ficar retido na sua posição final até o atirador estar preparado para efetuar novo disparo ou decidir que não irá disparar mais.







  1. Rearmar o gatilho
  • Deixar o gatilho regressar à frente, apenas até ao ponto em que este fica rearmado numa arma semiautomática.

  • O atirador deve sentir o mecanismo do gatilho a ficar ativo e deve ouvir o respetivo som.






  1. Respiração
  • Durante todo o processo o atirador não se pode esquecer de controlar a respiração. O disparo deve ser efetuado na pausa respiratória com os pulmões quase sem ar.

  • Depois do disparo deve voltar a inalar.





  1. Manuseamento das armas
  • A arma, seja ela curta ou longa, deve ser sempre empunhada de forma firme e segura com a mão dominante (a direita, no caso dos destros).

  • Todas as operações a realizar, tais como o carregamento e descarregamento, e a resolução de possíveis encravamentos deverão ser efetuados com a mão de apoio (a esquerda, no caso dos destros).

  • No caso da arma encravar, o atirador inexperiente deve pousar imediatamente a arma e deixar que o atirador experiente resolva o problema. Não deve, em caso algum, tentar resolver o problema, a menos que tenha sido instruído para isso.

  • Ao terminar os disparos deve pousar a arma desmuniciada, com o mecanismo aberto e virada na direção da linha de tiro. Nunca abandonar uma arma carregada ou fechada.






Uma vez que este texto se destina à iniciação de atiradores que nunca dispararam e não possuem armas recomendo que a iniciação seja feita apenas com armas de ar comprimido ou CO2. Estas, para além de serem menos perigosas, produzem muito pouco recuo e ruído. É importante que a experiência seja agradável para o atirador iniciado e que este não se sinta, em caso algum, intimidado ou inseguro. Depois da iniciação com ar comprimido ou CO2, caso o atirador iniciado responda bem e mostre interesse, pode-se ir subindo na escala de calibre, mas nunca passar de calibre .22 diretamente para calibre .500 S&W Magnum. Para além de desagradável, pode ser extremamente perigoso.

Durante os primeiros tiros não é recomendável que se coloque mais que uma munição na arma, mesmo nas armas de ar comprimido, caso estas disponham de carregador multi tiro. Depois do atirador iniciado demonstrar que domina a arma e respeita as regras de segurança, podem-se colocar mais munições no carregador.

Tanto o atirador experiente como o iniciado devem ter uma atitude humilde e aberta aos outros atiradores na carreira de tiro. Mesmo que não concordem com o que dizem, devem ouvi-los. Por vezes aprende-se imenso com os outros atiradores que se encontram na carreira de tiro.

É também fundamental que se esteja atento e se respeitem imediatamente todas as ordens de cessar fogo. Após ordem de cessar fogo, deve-se parar de disparar, manter a arma apontada numa direção segura e esperar novas instruções.

Enquanto o atirador inexperiente dispara, o elemento com mais experiência deve posicionar-se a curta distância para que consiga controlar e impedir eventuais movimentos perigosos. Na minha opinião, ambos os atiradores não devem estar separados por uma distância superior ao comprimento de um braço do atirador mais experiente.

No caso do atirador inexperiente ser uma criança, deve ser consultado o artigo "Ensinar crianças a disparar", como complemento.







Espero que tenham gostado deste artigo e que este vos sirva de apoio e incentivo para levar aquele amigo ou aquela amiga que nunca dispararam uma arma mas que até mostram interesse pelo tiro. Se gostaram, por favor cliquem no botão gosto e partilhem nas vossas redes sociais.

Aproveito para agradecer ao utilizador raubvogel, do Fórum Defesa, o seu grande contributo para este artigo.

E lembrem-se, não se deixem apanhar.